Para onde você está caminhando?

12/06/2015 14:38

PARA ONDE VOCE ESTÁ CAMINHANDO?

(Aprendendo sobre Metas com a Parábola da Flecha)

Filip. 3: 12-14  /  Colossenses 3: 1-2

 

É muito comum e até mesmo normal, quando perguntamos para nossos amigos ou para pessoas conhecidas acerca da vida,  saúde, projetos, estudos, negócios e até mesmo sobre a igreja. As respostas traduzem quase sempre uma vida pessimista, um passivismo entristecedor: “- É, vou levando a vida...” ou “- Estou aí como Deus quer...” e mais: “- Estou andando...” e também  “- Vou empurrando com a barriga...” e mais algumas pérolas:  “- Estou  aí nas tocando...”,  “- Estou vivendo por viver...”,  “- Estou esperando a minha hora...”

 

Infelizmente, quando ouvimos respostas semelhantes a essas, o sentido não é de acolhimento do projeto de Deus e a realização de sua vontade. São respostas vagas, decoradas, jogadas ao vento, repetidas sem qualquer reflexão. As pessoas nem sequer pensam naquilo que estão falando e acabam repetindo o que todo mundo fala. É quase um vício de linguagem.

 

Não há dúvidas de que a vida foi-nos presenteada por Deus para ser saboreada: esse é o seu sentido primário e é por isso que Jesus se fez gente e veio habitar entre nós. Certamente, Deus quer o melhor para cada um de nós e deseja que cada pessoa seja plenamente feliz, todos os dias, sempre! A qualidade de vida que Jesus veio nos ensinar como projeto do Pai para nós é uma proposta de Deus que precisa ser acolhida e assumida. Deus não nos obriga a nada. Portanto, se queremos viver em plenitude, precisamos assumir como muita clareza e coragem um bom projeto de vida.

 

Aquela vida sem projeto não é vivida, no máximo é uma sobre vida. Para ter claro um propósito, um projeto, é preciso saber aquilo que se deseja realizar com a vida.  É preciso - e com urgência! – achar um grande sentido para viver, para lutar, para vencer obstáculos, superar as dificuldades e responder aos desafios inesperados.

 

Desde que nascemos, muitos obstáculos vão se interpondo entre nós e as metas a serem conquistadas. Cada fase de vida tem seus obstáculos próprios e, à proporção que vamos mudando de fase, novas dificuldades vão surgindo. Isso implica em dizer que jamais viveremos uma folga entre as fases. Pelo contrário, o grau de dificuldade vai aumentando. E sabemos que em tudo isto há uma poderosa força tentando nos derrubar, impedindo assim prosseguirmos rumo ao propósito desejado. Exatamente por isto, há tanta gente vivendo uma quase vida, uma vidinha de fracassos onde os sonhos vão lentamente se apagando de suas mentes, de suas mãos e de seus rostos e olhos.

Para entendermos melhor o que é viver uma vida com propósitos e permeada por objetivos, quero propor-lhes uma parábola.

 

Em uma sala de aula os alunos estavam muito atentos assistindo e anotando aquela aula, mas um aluno, lá no canto da sala olhando para o teto, para o vazio, para o nada. O professor, por sua vez, percebia aquela situação (e isto já se prolongava por um semestre inteiro)  O que fazer?  Como ajudá-lo?  Como intervir naquela situação?

 

Durante as conversas em sala de aula, aquele aluno dizia que não esperava nada da vida, não sabia o que queria, não tinha nenhuma ambição profissional, e nem sabia conversar sobre profissões, carreiras, projetos... Seu futuro era absolutamente obscuro.

 

Foi então que teve uma brilhante idéia de convidar o aluno para ir até a sua casa, onde o professor treinava diariamente arco e flecha, como modalidade esportiva. E assim o fez. O aluno, surpreendido, disse que seria uma honra vê-lo treinar para uma competição.

 

Naquela tarde, lá estava o aluno na casa do professor, com os olhos brilhando de entusiasmo. O professor, então, pediu que ele levasse seus equipamentos até o quintal onde passaria a tarde em treinamento. Mais entusiasmado ainda ficou quando o seu mestre pediu que ele usasse aquele instrumento...

 

“- Quero que você comece um treinamento comigo e, para isto, quero que voce utilize, agora, o arco e a flecha. Vamos, atire!

 

O aluno, diante daquela situação inédita, mas querendo atender o mestre, disse:

 

“- Mas como utilizar isto? Atirar para onde?  O que fazer para segurar direito?”

 

O professor entendeu que aquele seria o momento de ensinar-lhe algumas lições preciosas e inadiáveis sobre vida, profissão, futuro e objetivos reais e disse-lhe:

 

“- Meu filho, para se vencer na vida, precisamos aprender algumas lições com o arco e a flecha. Esse instrumento nos ensina 7 grandes lições e se você aprendê-las, encontrará a felicidade, a realização e alcançará muitos objetivos em sua vida”.

 

A primeira lição – Defina qual é o seu alvo, sua meta.

 

Meu filho,  para que o arco e a flecha tenham um propósito é  preciso um alvo à sua frente. Sem alvo, arco e flecha não passam de pedaços de madeiras. Assim também é a sua vida: você precisa descobrir qual o seu alvo senão a sua vida não terá o menor sentido..

 

Assim como na prática do arco e flecha, é preciso ter um alvo à frente para se poder mirar, focar e alcançar. Num sério projeto  de vida, definir aquilo que se vai alcançar é vital. Quem não sabe para onde vai, se enrosca em qualquer graveto ou pedregulho. Por isso mesmo é preciso saber o que realmente se quer atingir. Nossos erros mais comuns não são resultados de respostas erradas e sim de perguntas mal feitas. Se eu não sei o que quero, com clareza, como posso caminhar seguro?  A meta selecionada torna-se um chamariz, um grande ímã que nos atrai e impulsiona. Quando não definimos o que queremos ou aonde realmente desejamos chegar, desistimos no primeiro obstáculo. Quem corre por gosto e desejo não se cansa nunca!

 

A segunda lição – Saia da área de conforto! 

 

Meu filho, para o arco e a flecha terem excelente atuação, é preciso ficar de pé, com os braços bem distendidos, quer faça sol ou chuva...Todos os dias! Não podemos dar tréguas, senão o treinamento perde a sua função. Na sua vida, se você não se esforçar, dificilmente você conseguir algo. Lembre-se a maior parte do seu sucesso dependerá exclusivamente de você e do seu esforço!

 

Depois de definir a meta a ser atingida, é preciso ter coragem de sair da zona de conforto, isto é. desinstalar-se. Temos uma tendência muito forte ao comodismo e fazemos isto com muita facilidade. Com isto temos medo das coisas novas, Temos medo do incerto e por isto não experimentamos a alegria e a beleza do novo. É preciso abandonar  os padrões que, consciente ou inconscientemente, vamos estabelecendo-nos. Esses padrões facilmente se transformam em preconceitos, queixas, lamentos que não nos deixam caminhar...

 

O medo do incerto é, na verdade, um comodismo disfarçado e com isso vamos nos transformando em pessoas superficiais e de tudo sabemos um pouquinho. E quem quer atingir uma meta claramente definida, precisa ter coragem de aprofundar seus conhecimentos. Na vida, tudo que presta precisa ser cultivado e como leva tempo! Exige dedicação, rompimento com velhos padrões e sair do superficialismo e isso exige, também, a coragem de compartilhar nossas metas com pessoas que tenham experiência, em quem confiamos. Portanto, é preciso deixar de lado tudo aquilo que não contribui para a meta determinada; aprofundamento exige opções. Só devemos arquivar no coração e na cabeça aquilo que realmente contribui para atingirmos a meta escolhida.

 

A terceira lição – Envolva-se diariamente com seus planos!

 

Meu filho, se você não tiver planos para usar o arco e a flecha, todo o treinamento se tornará inútil. Você está treinando para que?  Vai participar de um campeonato? Então,treine muito sabendo que você errará demais até acertar o centro do alvo!

 

Ninguém consegue definir uma meta e traçar planos de ação para atingi-la sem avaliar todas as possibilidades e opções. Por isso, é preciso avaliar as opções, visualizando os resultados. É preciso pesar as conseqüências de nossas ações. A felicidade nunca acontece por acaso: é fruto de um projeto coerentemente definido e vivido.

 

A vida não é um projeto fechado, pronto, acabado e lacrado: é sempre um risco e está recheada de incertezas. Mas o ser humano pode reprogramar seus sonhos, suas aspirações. Ninguém precisa morrer infeliz, por não ter alcançado sucesso em alguma área de sua vida. Por isso não podemos perder tempo com coisas passageiras. Não existe a menor possibilidade de alguém definir tudo que lhe acontecerá no final do dia, quanto mais no dia de amanhã ou dentro de um mês. Assim, todo projeto de vida precisa estar aberto à retomada das decisões. Nem sempre tomamos a decisão correta. não existe nenhum mecanismo que possa prever os resultados de seus planos. Só o tempo. Reavaliar planos significa dizer que é possível tomarmos caminhos errados e que é preciso retomar o rumo certo, começar de novo. Sem essa humildade, a teimosia acabará destruindo nossos planos verdadeiros.

 

A quarta lição – Mude seu jeito de pensar!

 

Meu filho, por que você está dizendo que não vai acertar? Em vez de ficar pensando, será que vou acertar o alvo? A dúvida no pensamento corroerá você de tal forma que poderá destruir todo o treinamento. Pense diferente: Se eu treinar mais vezes eu alcançarei mais cedo o meu alvo!

 

Uma escritora disse que “ninguém pode fazer eu pensar menos de mim mesmo sem o meu consentimento”. E tudo acontece na área do pensamento. Nós podemos e  devemos controlar e canalizar nosso pensamento para que não seja criador ou alimentador de sentimentos agitados. O que sentimos está diretamente relacionado ao que pensamos.

 

Do mesmo modo que fazemos opções acerca do alimento que queremos colocar em nosso estômago, precisamos selecionar os alimentos que colocamos nos pensamentos e fixá-los em nosso coração. Se nos alimentamos de fé, confiança e certezas, nossa meta será atingida. Mas se nos alimentarmos com dúvidas, medos e desconfianças, mesmo que tudo tenha sido planejado com eficiência, o resultado será desastroso. Quando alimentamos o nosso coração com tudo aquilo que não presta, nos transformamos em nosso pior inimigo, até porque o carregamos dentro de nós mesmos.

 

Deus quer o melhor para nós e esse melhor só nos encontrará à medida  que lutarmos para trazer à tona o nosso melhor. Quem não tem coragem de lutar para alcançar novas metas, será sempre uma pessoa amarga e frustrada que viverá se queixando de tudo e de todos. Deus ajuda quem se ajuda!

 

A quinta lição –  Aja mais e reclame menos!

 

Meu filho, por que você está resmungando tanto? Em vez de ficar reclamando que o sol está queimando, que os braços estão doendo, que não está acertando todas as flechas no alvo, reclame menos e se concentre mais para que suas ações resultem em alvos acertados bem no centro.

 

Para se ter uma vida plena e alcançar mais metas, é preciso aprender a lidar com situações e pessoas. Qual a vantagem de ficar justificando derrotas olhando o que acontece ao redor?  Desde que o mundo é mundo ouve-se reclamações diárias: o governo está agindo de maneira errada, o desemprego está se agravando até nas grandes capitais, as doenças estão matando cada vez mais pessoais, isso ou aquilo... No entanto, nunca o ser humano teve tantos motivos e tantas possibilidades de construir uma história feliz como na época atual! É preciso aprender a canalizar as grandes conquistas da ciência e da tecnologia para o bem-estar integral da pessoa!

 

O único jeito de viver os problemas sem permitir que eles deformem nosso coração é descobrir e cultivar atitudes que se transformem em forças de resistência. A concepção materialista de vida afeta a vida pessoal e familiar. Uma família que prioriza apenas o lado econômico e deixa de lado o diálogo, o carinho, a fé, a comunhão, o abraço e tantas outras coisas que o dinheiro não compra, não conseguirá ajudar seus membros a conquistar suas metas, seus sonhos.

 

A sexta lição – Tenha coragem de ser diferente!

 

Meu filho, enquanto a maioria, está nas lan-houses, vendo filmes eróticos, assistindo um bom programa ou até mesmo lendo... coisas inúteis, você está aqui para aprender a ser um campeão em arco e flecha e para isso é preciso ter coragem para ser diferente: pegar o arco, ir para o campo de treino, ficar no sol e se arriscar a ter distensão no braço.  Ser diferente é dizer que sonha com um futuro mas que para isto é preciso pagar um alto preço!

 

Diariamente, todos os canais de tv, estações de rádio, jornais, revistas e internet, estão veiculando mensagens que visam nos atingir.  A propaganda prega a troca como um grande valor. E suas mensagens afirmam: “Ser feliz é ter cada vez mais e melhor. E na pedagogia da troca não existe espaço para a fidelidade conjugal, compartilhar a fé, conversar sobre assuntos espirituais. Quando o ter é mais importante que o ser, quando o material  é mais importante que o espiritual, não existe espaço para o amor exigente e solidário que precisa existir no coração de cada pessoa.

 

É preciso ter coragem para lutar contra tudo isso. As mudanças devem começar no íntimo de cada pessoa, nas famílias, nas casas, nas empresas. É preciso ser forte o suficiente para nadar contra a correnteza. Começar de novo também envolver o jeito de pensar e trabalhar a vida de cada um. Uma vida com propósitos exige opções e atitudes constantes e aprender a dirigir a própria vida e ter coragem de ser diferente, saindo do mundo da acomodação, para o da incomodação.

 

A sétima lição – Busque ajuda com humildade.

 

Por último, meu filho, se você não me chamar e mostrar que não sabe segurar o arco e a flecha e muito menos ajustar tudo isto para que a flecha atinja o alvo com exatidão, eu jamais poderei ajudar você. Peça ajuda, mostre a área onde você é fraco, clame por auxílio e você será ajudado sempre... E com muita alegria da parte do mestre!

 

Nem sempre conseguiremos aquilo que sonhamos se não tivermos ajuda. Mas toda e qualquer ajuda só chegará se alguém for buscá-la, preferivelmente com humildade. Os arrogantes não conseguem apoio, ajuda e facilitações porque eles mesmos fecham as portas com seu jeito impetuoso de ser. Entre ajudar uma pessoa que pede com humildade porque precisa e outra que pede, mas não tem humildade no pedir, qual a que será ajudada?  Claro, a primeira conseguirá seu objetivo.

 

Há dois tipos de ajuda: uma horizontal e outra vertical. Na horizontal, estão aquelas pessoas amigas, anjos maravilhosos, que até mesmo sem pedir, nos ajudam dando-nos aquilo que precisamos; e quando pedimos, nos ajudam sem cobranças, porque gostam de ajudar ao próximo. E essas pessoas existem em grande quantidade ao nosso redor. Entretanto, para nos ajudar, elas querem ver a grandiosidade de nossos projetos, o tamanho das metas que estamos perseguindo e o nosso foco. Por isso, saber descrever os planos, projetos, metas e sonhos é de fundamental importância para que a ajuda chegue mais depressa.

 

Na vertical, existe Alguém poderoso, amigo, protetor, cuidador, orientador, que tem imensa satisfação, grande alegria em ouvir cada um de nossos pedidos. Esse alguém se chama Deus, o criador dos astros do universo, do céu, terra, mares... Esse Poder está ao alcance de cada pessoa que, com humildade, se curva para pedir a graça, a bênção de termos nossos sonhos realizados. Entretanto, para que isso aconteça, é preciso saber pedir e ao fazê-lo, deixar claro que não é para o nosso deleite, mas que também alcancemos ajudemos outras vidas a alcançarem aquilo que sonharem, desejarem e lutarem. Deus não nega nada aos seus filhos. A oração é o canal que nos leva aos pés dessa maravilhosa divindade. Portanto, façamos uso dessa preciosa alavanca que nos impulsiona para perto de Deus.

 

E na semana seguinte, em sala de aula, lá estava aquele aluno, agora totalmente modificado. Não só estava prestando muita atenção em todas as aulas e anotando os assuntos importantes, como também no final das aulas comentou com o professor que aquela tarde juntos funcionou como o despertar para um sonho... Agora ele tinha um sonho, uma meta: ser também um professor! E mais tarde, seus colegas se surpreenderam vendo-o no quintal de sua casa, em pleno sol da tarde,  com um arco e flecha (presente de seu pai!) treinando sem cessar...

 

A lição havia sido aprendida e ele descobrira um caminho seguro.

 

Na sua vida, aplique as lições do arco e da flecha:

Defina qual seu alvo e sua meta na vida.

Saia da área de conforto.

Envolva-se diariamente com seus planos

Mude seu jeito de pensar

Aja mais e reclame menos!

Tenha coragem de ser diferente.

Busque ajuda, mas com humildade.

Seguindo essas trilhas, com certeza, novos horizontes vão surgir em sua vida e as mudanças acontecerão seguidamente trazendo-lhe alegrias permanentes e realizações.  Aqui cabe uma pergunta que só você pode responder:

 

Para onde você está andando?  Que a Palavra do Senhor seja “lâmpada para os pés e luz para os caminhos”.

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Notícias da AELB

Recital de Música Sacra na Igreja da Candelária

14/09/2018 13:37
A Academia Evangélica de Letras do Brasil – AELB,   Vem convidar V.Exa. e sua digníssima...

Publicada a "Carta de Notícias" do mês

05/04/2018 19:16
Clique aqui e se informe.

Itens: 1 - 2 de 38

1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>