Ocupante atual

Eduardo Mayr

3º ocupante da Cadeira 21

 

EDUARDO MAYR, natural do Rio de Janeiro, 30.04.1938, escreveu, entre outros, ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, ABORTO EUGÊNICO, sem dados biográficos completos e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa. Filho de pais não revelados em sua biografia. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou. Converteu-se ao protestantismo em 23 de setembro de 56, com 18 anos de idade.
Em 1962, com 24 anos de idade, formou-se Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais(Direito), na antiga UEG, hoje Universidade Estadual do Rio de Janeiro(UERJ). Em 1964, terminou o Doutorado. Exerceu a advocacia durante muitos anos.
Realizou estudos de pesquisa e extensão na Universidade de Mainz, na Alemanha. Em 1972, com 34 anos de idade, mediante concurso publico de provas e títulos, tornou-se Juiz de Direito, vinculando-se à Magistratura do antigo Estado da Guanabara.
Com o passar do tempo, foi promovido a Desembargador, tendo sido Presidente da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Professor universitário. Conferencista respeitado, é também vinculado ao Rotary Internacional.
Casou-se com Elisabeth Mayr. Como Presbítero, faz parte do quadro de Oficiais da Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio de Janeiro.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil, no Rio de Janeiro, é o 3º Ocupante da Cadeira 21, tendo como Patrono Zaqueu Ribeiro, seu 1º Ocupante que faleceu em 2002. Mas esta cadeira já teve como 2º ocupante, Edésio de Oliveira Chequer.
Apesar de sua importância, não é estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 ou DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

2º ocupante da Cadeira 21

Edésio Chequer

 

EDÉSIO DE OLIVEIRA CHEQUER, natural de Santa Rita do Passa Quatro, São Paulo, 1933, escreveu, entre outros, “A ESCOLA DOMINICAL - ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO”, “SINAIS PROFÉTICOS DA SEGUNDA VINDA DE JESUS”, “NOSSA IGREJA - SUA FÉ E SUA HISTÓRIA”, “A IGREJA E O DESAFIO MISSIONÁRIO” “NAS PEGADAS DE UM GIGANTE” (Biografia do Reverendo Isaias de Souza Maciel), sem dados biográficos completos e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via texto editado. Filho de pais não revelados em sua biografia. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.
Curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Recife, Capital de Penambuco, na Rua Demócrito de Souza Filho. Em 1963, com 30 anos de idade, foi ordenado ao Sagrado Ministério da Palavra, pelo Presbítério de Itabuna, na cidade de Canavieiras, Bahia.
A partir de então ocupou cargos e exerceu funções na Igreja Presbiteriana do Brasil, entre os quais, o de Secretário Geral da Mocidade Presbiteriana do Brasil, Presidente da Junta de Educação Religiosa, Presidente de Presbíteros, Presidente de Sínodos e Presidente do Supremo Concílio em duas legislaturas, período em que a Igreja Presbiteriana do Brasil experimentou sua fase de maior crescimento, em toda sua história até então.
Título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro ao Rev. EDÉSIO DE OLIVEIRA CHEQUER, Coordenador da OMEB - Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e Chanceler da AELB - Academia Evangélica de Letras do Brasil. Plenário Barbosa Lima Sobrinho, 01 de Agosto de 2002.
É casado com a professora Aldira Vilela Chequer e tem três filhos: Gleise Lorena - enfermeira padrão, Edésio Júnior - acadêmico de Direito e Neander Chequer - engenheiro orgânico, e os seis netos Márcio, José Neto, Talita, Diego, Guilherme e Lucas.
Representou a Igreja Presbiteriana do Brasil em diversos Congressos Internacionais: América Latina, Alemanha, Kênia e Coreia do Sul (onde selou o convênio entre a Universidade Mackenzie e a Myong Ji University), entre outros.
Atuou como professor de Língua Portuguesa e História Geral em Pernambuco, foi Vice-Diretor e professor de Português e História Geral do Colégio Batista Conquistense na Bahia.
Foi professor em Seminários Presbiterianos em Recife e em Campinas - SP, além de ser Chanceler da Universidade Mackenzie. Em seu mandato implementou-se a Pós-Graduação no Instituto e sua expansão, a partir de Brasília e o curso de equiparação do curso teológico.
Atualmente, é pastor da Igreja Presbiteriana do Parque S. Elias, em Mesquita, Rio de Janeiro. Pregador e evangelista apreciado em todo o mundo, o Reverendo Chequer desenvolve um belo trabalho de orientação à juventude, no fortalecimento das famílias e na transformação espiritual, social, intelectual e econômica do povo fluminense e carioca.
Atua como Coordenador Geral da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil (OMEB).
Membro efetivo da AELB - Academia Evangélica de Letras do Brasil, Cadeira 21, -2º ocupante- tendo como Patrono e 1º Ocupante Zaqueu Ribeiro, que faleceu em 2002 e é considerado o 1º ocupante da Cadeira. Atualmente(2007), esta Cadeira 21 é ocupada por Eduardo Mayr-3º ocupante. Edésio Chequer foi candidato a Deputado Federal em 2006.
Apesar de sua importância, não é estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 ou DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br
 

Patrono

Zaqueu Ribeiro

1º ocupante da Cadeira 21

 

ZAQUEU RIBEIRO, natural de Iguape, entre Cananeia e Peruíbe, São Paulo, 31.01.1924, escreveu, entre outros, ARTIGOS DE EDIFICAÇÃO ESPIRITUAL, sem dados biograficos completos nos livros e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via textos editados.
Filho de Evaristo Alfredo Ribeiro e de Pedrina da Cunha Ribeiro. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.
Fez seus estudos elementares no Grupo Escolar Vaz Caminha, em Iguape. Posteriormente, freqüentou o Colégio Evangélico do Alto Jequitibá, em Minas Gerais e concluiu os cursos Ginasial e Clássico no Instituto Gammon, em Lavras, também em Minas Gerais.
Em fins de l945, retorna a Iguape e apresenta-se ao Conselho da Igreja como aspirante ao Sagrado Ministério da Palavra de Deus. Em l946, foi encaminhado ao Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas, São Paulo. Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas, São Paulo.
Pastoreou as Igrejas de Juquiá, Cedro, Biguá, Morrinhos e a Congregação de Palmital.
Em 29.01.1953, na Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, casou-se com Vera de Almeida Ribeiro, com quem teve 5(cinco) filhos. Bacharelou-se em Direito. Professor de Teologia Pastoral e Teologia Sistemática. Tornou-se Ministro Evangélico Presbiteriano.
Foi Pastor das Igrejas Presbiterianas de Juquiá, Cedro, Biguá e Morrinhos, no Estado de São Paulo. Foi Pastor da Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, da Tijuca, da Igreja Presbiteriana de Copacabana, da Igreja Presbiteriana do Caju, no Rio de Janeiro.
No exercício da liderança da Junta Missionária da Igreja do Rio de Janeiro, organizou as Igrejas de Duque de Caxias, Jacarepaguá, Marechal Hermes, Brás de Pina e Tijuca. Em todo o seu ministério o Rev. Zaqueu integrou apenas dois presbitérios: o de Sorocaba (PSRC) e do Rio de Janeiro (PRJN).
Em l968, o Conselho convocou a Assembleia da Igreja Presbiteriana da Tijuca, para eleger o seu primeiro pastor, o que aconteceu em 6.10.1968. Uma Comissão do Presbitério do Rio de Janeiro empossou e instalou o Rev. Zaqueu Ribeiro como Pastor exclusivo. Foi diretor-secretário e diretor-redator do jornal “o Puritano”.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil é o 1º Ocupante da Cadeira 21 que tem como Patrono ele mesmo Zaqueu Ribeiro. Esta Cadeira 21 tem como 2º Ocupante Edésio de Oliveira Chequer e como 3º Ocupante Eduardo Mayr.
No Digesto das Decisões do Supremo Concílio da IPB e de sua Comissão Executiva no ano de 1995 foi feito o seguinte registro: CE-95-098 - Doc. V - Quanto ao Doc. 32 - Do Presbitério do Rio de Janeiro/SRJ, proposta de jubilação do Rev. Zaqueu Ribeiro. A CE-SC/IPB resolve:
1) Atender e efetivar, nos termos do Art.49 §2º da CI/IPB, a jubilação do Rev. Zaqueu Ribeiro, sem ônus para a IPB.
2) Destacar o ministério fecundo realizado pelo obreiro, desde sua candidatura por Sorocaba, em 1946. Foi ele ordenado ao ministério em 15.01.50, tendo servido as Igrejas de Juquiá, Cedro, Palmital e Biguá, do Presbitério de Sorocaba. Em 1953 transferiu-se para o Presbitério do Rio de Janeiro, servindo a Igreja do Rio até 06.10.1968. A seguir foi eleito pastor da IP da Tijuca, até outubro de 1988, quando a comunidade lhe conferiu o título de Pastor Emérito. Serviu várias vezes seu Concílio como presidente, bem como na presidência de seu Sínodo.
3) Registrar o reconhecimento de fidelidade e vida cristã exemplar durante todos os anos de serviço à IPB.
4) Conferir-lhe o Diploma de Jubilado e a Medalha de Mérito da IPB.
5) Recomendar que o Concílio proponente promova um culto especial de louvor e gratidão a Deus pela vida e ministério de seu obreiro.
6) Destacar que a IPB é sua família e que sempre estará solidária com seu ministro e seus familiares.
Faleceu no Rio de Janeiro, em 15.01.2002, com 78 anos de idade.
Não é analisado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001.
Apesar de sua importância, não é estudado no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Notícias da AELB

Recital de Música Sacra na Igreja da Candelária

14/09/2018 13:37
A Academia Evangélica de Letras do Brasil – AELB,   Vem convidar V.Exa. e sua digníssima...

Publicada a "Carta de Notícias" do mês

05/04/2018 19:16
Clique aqui e se informe.

Itens: 1 - 2 de 38

1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>