Ocupante atual

Maurício Melo de Meneses

6º ocupante da Cadeira 26

 

*** Biografia pendente ***

 

5º ocupante da Cadeira 26

Paulo Mafra de Siqueira

 

*** Biografia pendente ***

 

4º ocupante da Cadeira 26

Lecy Nunes Souza

 

LECY NUNES SOUZA, natural de Três Rios, Minas Gerais, 04.10.1933, escreveu, entre outros, DE DIACONO PARA DIÁCONO (Rio, Juerp, 2006), DIACONIAS-O MULTIMINISTÉRIO DO MINISTÉRIO DIACONAL(Rio, Juerp, 2006), DIACONIA-DA ESCOLHA À CONSAGRAÇÃO(Rio, Juerp, 2006), sem dados biográficos completos nos livros e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via textos editados. Filho de pais não revelados em sua biografia. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.
Formou-se em Direito e exerce a advocacia no Rio de Janeiro. Conhecido como Doutor Lecy.
Durante mais de 25 anos, tem sido Diácono de várias Igrejas Batistas do Estado do Rio de Janeiro. Sobre o assunto escreveu também um livro, transformado em Manual de Diáconos. Recebeu da Assembleia Legislativa do Estado do Rio, moção de APLAUSOS E CONGRATULAÇÕES, no dia 01.02.2005.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil é o 4º Ocupante da Cadeira 26 que tem como Patrono e 1º Ocupante Gerson Mendonça. Esta Cadeira 26 tem como 2º Ocupante Jorge Bertolasi Stela e como 3º Ocupante Ivan Espindola.
Não é analisado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001. Apesar de sua importância, não é estudado no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br
 

3º ocupante da Cadeira 26

Ivan Espíndola de Ávila

 

IVAN ESPINDOLA DE ÁVILA, natural de Santos, São Paulo, 04.03.1933, escreveu, entre outros, A BIBLIA SEMPRE A BIBLIA(Ensaio-1970), VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO(Crônicas-1976), BENÇÃO NA SOLIDÃO(Crônicas-1982), NÃO CHORE, AGRADEÇA(Crônicas, 1994), A BÍBLIA AO LONGO DO CAMINHO, POR QUE DEUS NÃO ACEITOU A OFERTA DE CAIM? BÊNÇÃOS NA SOLIDÃO, ELES CAÍRAM PARA CIMA, ANEDOTÁRIO RELIGIOSO DO BRASIL, OUTRAS HISTÓRIAS ENGRAÇADAS, PÉROLAS DE SABEDORIA, MEU PAI ERA PASTOR, TIPOS DE CRENTES, sem dados biográficos completos nos livros e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via textos editados. Filho de pais não revelados em sua biografia. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.
Em 1954, com 21 anos de idade, formou-se Bacharel em Teologia. Em 1959, com 26 anos, tornou-se Bacharel em Direito, fazendo-se Advogado. Em 1967, com 34 anos, concluiu o curso de Filosofia Pura. Em 1977, foi Deputado Estadual, pelo Estado de São Paulo.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil, é o 3º Ocupante da Cadeira 26 que tem como Patrono e 1º Ocupante Gerson Mendonça. Esta Cadeira tem como 2º Ocupante Jorge Bertolaso Stela e como 4º Ocupante Lecy Nunes Souza.
Foi membro da Ordem dos Parlamentares do Brasil. Na Assembleia Legislativa de S.Paulo, era conhecido como o “Deputado da Bíblia”. Foi Secretário Regional da Sociedade Bíblica do Brasil. Membro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), da Associação Paulista de Imprensa (API) e Sindicatos da categoria. Foi Vereador, na Capital paulista e ocupou três mandatos de Deputado Estadual em São Paulo.
Membro de inúmeras entidades culturais e religiosas. Ocupou a presidência da Confederação Evangélica do Brasil, da Rede Cristã de Comunicações, da Cruzada Mundial de Literatura, do Centro Áudio Visual Evangélico e do Lar Evangélico de Amparo à Velhice, de Santos, e do Conselho da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil OMEB. Radialista, Escritor, Ensaísta, Cronista.
Pastor Honorário das Igrejas Congregacionais de Ramos (Rio de Janeiro), de S.Vicente e de Guarulhos. Integrou o Conselho da Associação Cristã de Moços e o Conselho da Associação Paulista de Imprensa.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil é o 3º Ocupante da Cadeira 26 que tem como Patrono e 1º Ocupante Gerson Mendonça. Esta Cadeira 26 tem como 2º Ocupante Jorge Bertolaso e como 4º Ocupante Lecy Nunes Souza.
Idealizou, organizou e foi primeiro presidente da APEL- Academia Paulista Evangélica de Letras, e Presidente Emérito, quando deixou a liderança por motivo de enfermidade.
Faleceu no dia 06.01.2006, com 73 anos de idade. O Culto em Ação de Graças pela vida e ministérios do Rev. Ivan Espíndola de Ávila teve lugar na Igreja Presbiteriana da Vila Mariana em S.Paulo.
Não é mencionado no livro DICIONÁRIO DE AUTORES PAULISTAS(1954), de Luis Correia de Melo.
Apesar de sua importância, é pouco estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 e não é citado no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

2º ocupante da Cadeira 26

Jorge Bertolaso Stela

 

JORGE BERTOLASO STELA, natural de Abadia(Pádua), Itália, 01.08.1888, escreveu, entre outros, MONOGEISMO LINGUISTICO(1927), AS LINGUAS INDIGENAS DA AMERICA(1928), VESTIGIOS DA LINGUA PRIMITIVA(1933), EUCLIDES DA CUNHA(Biografia-1977), ANTOLOGIA DE ESTUDOS RELIGIOSOS(1979), AS SETE CARTAS DO APOCALIPSE(1944), AS DESCOBERTAS DOS PAPIROS DO MAR MORTO(1960), UM NOVO TESTAMENTO BASCO(1963), ORAÇÕES DA ALMA(1967), A ORAÇÃO NA HISTORIA DAS RELIGIÕES(1968), INTRODUÇÃO ÀS UPANISHADAS(1969), PROVERBIOS DA INDIA(1971), OS MANUSCRITOS DO MAR MORTO(1972), A VIDA DE JESUS CRISTO(1972), sem dados biográficos completos nos livros e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via textos editados.
Filho de Fortunato Bertolaso e Domenica Stella. Veio para o Brasil com 3 anos de idade, em 1891 e em 1918, com 30 anos, naturalizou-se brasileiro. Após os estudos primários em sua terra adotiva, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.
Em 1919, com 31 anos de idade, formou-se Bacharel em Teologia, pela Faculdade de Teologia, da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil. Foi consagrado Ministro Evangélico Presbiteriano. Professor de História das Religiões da Faculdade de Teologia. Foi Pastor da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo. Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, bem como de Pernambuco, da Bahia, de Alagoas, da Paraíba, do Espírito Santo, do Rio Grande do Norte e Santa Catarina. Membro da Sociéte de Linguistique de Paris.
Professor Universitário. Membro Honorário da Sociedade Bíblica do Brasil. Membro Correspondente da Academia Amazonense de Letras, do Instituto de Estudos Etruscos da Itália, da Sociedade Geográfica de Lima, no Peru, do Instituto de Estudos Vascos, de Buenos Aires, na Argentina. Fundador da Sociedade de Estudos Filológicos de São Paulo. Membro da União Brasileira de Escritores e da Sociedade Geográfica Brasileira.
Na Academia Evangélica de Letras do Brasil é o 2º Ocupante da Cadeira 26 que tem como Patrono e 1º Ocupante Gerson Mendonça. Esta Cadeira 26 tem como 3º Ocupante Ivan Espindola de Ávila, falecido em 06.01.2006 e como 4º Ocupante Lecy Nunes Souza.
Não é mencionado no livro DICIONÁRIO DE AUTORES PAULISTAS(1954), de Luis Correia de Melo. Não é lembrado no livro ITALIANOS NO BRASIL(2003), de Franco Cenni.
Faleceu em São Paulo, em 18.07.1980, com 92 anos de idade.
Apesar de sua importância, é pouco estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 e não é citado no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc.
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Notícias da AELB

Publicada a "Carta de Notícias" do mês

05/04/2018 19:16
Clique aqui e se informe.

Edital de Convocação para dezembro 2017

17/11/2017 10:43

Itens: 1 - 2 de 37

1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>