Buscar
  • AELB

Poesia: "Modal"

Acad. Noélio Duarte (Cad. 13)


A moda sempre foi presente

Na história, na vida de toda gente,

Em todas as partes do mundo...

Ela é intensa e ditatorial,

Reproduz o que é triunfal,

Para gerar orgulho profundo.

Moda... Estamos sempre focados;

Moda... Precisamos estar ligados;

Moda... Como viver na contra-mão?

Roupas, sapatos, óculos, cores,

Estilos, formatos, ritmos, sabores,

Moda... Sempre foi uma obsessão!

Ficar fora de moda, o que isso muda?

Pense, se convença, não se iluda

A moda não pode muito oferecer...

Ela não tem o poder de transformar,

Ela não pode o caráter mudar,

A moda visa lucro e não quer perder.

A moda, produz muito envolvimento,

Mas não investe nada em sentimento

Por isso aliena mentes e corações...

No mundo da moda é proibido sentir,

Pessoas brigam, é preciso investir...

Enquanto isso adoecem as emoções...

Algumas coisas estão fora de moda

E isso realmente me incomoda...

Se não estivesse fora de moda, iria falar

Da sinceridade, da verdade, do abraçar,

De colocar em destaque as virtudes...

Também iria falar da tal amizade

Esse porto seguro da solidariedade,

Os gestos lindos, as belas atitudes...

Se não estivesse tão fora de moda, falaria

Sobre a família, essa força e energia

Que nos acolhe em que situação for:

Pai, mãe, irmãos, filhos, parentes,

Essa comunidade de pessoas atraentes,

Unidas pelas santas marcas do amor...

Mas está fora de moda, a tal felicidade,

O zelo, o cuidado, carinho, a lealdade,

Virtudes hoje já tão ultrapassadas...

Está fora de moda a suave meditação,

O encontro com Deus através da oração,

Atitudes lindas, mas tão desprezadas!

Sim, é fora de moda o mundo espiritual,

Porque a meta é validar o que é material...

O modismo impõe essa triste realidade.

Mas a moda passa, gera frustração

Dando lugar a incerteza e a depressão

Porque não representa a verdade.

Deus do céu, como gostaria, de coração,

Que a moda tivesse como fundamentação

Aquilo que aponta para a fraternidade,

Alegria, bondade, fidelidade, doce paz

E isso fosse estilo, sem cessar jamais

Revestindo suavemente a humanidade...

Sim, eu sonho com a moda perfeita,

Que transformaria, se fosse aceita

Pois foi criada por Cristo, o libertador:

Que o ser humano se vestisse de lealdade,

Que se cobrisse com as cores da verdade,

Que se trajasse com a força do AMOR!

Ah, meu sonho é ver vestes tingidas, insisto,

Não com tintas, mas com o Sangue de Cristo!

0 visualização
  • instagram-logo
  • YouTube Social  Icon
  • Spotify ícone social
  • SoundCloud ícone social
  • Twitter Social Icon

© 2019 por Wittenberg