• instagram-logo
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon
  • Convocação AELB

© 2019 por Wittenberg

AELB

Academia Evangélica de

Letras do Brasil

Cadeira 04

Titular

Acad. José Alencar Lopes

Quatro ocupante desta cadeira.

 

Biografia pendente.

3º ocupante

Acad. Miguel Ângelo Ferreira

Terceiro ocupante desta Cadeira.

 

        MIGUEL ÂNGELO DA SILVA FERREIRA, natural de Luanda, Angola, África, 20.03.1953, escreveu, entre outros, PREDESTINAÇÃO-UMA VISÃO DE DEUS, NADA ME SEPARA DO AMOR DE DEUS. Filho de Amílcar Augusto Ferreira e Laura dos Anjos Ferreira. 
         Em 1974, com 21 anos de idade, foi seminarista na Assembleia de Deus de Lisboa, Portugal. Em 21 janeiro de 1979, com 26 anos, tornou-se diácono da Igreja de Nova Vida, no Rio de Janeiro. Ainda em 1979, no mês de março, no dia 07, tornou-se Pastor da Igreja de Nova Vida. No dia 09.09.1982, fez-se Evangelista da Igreja de Nova Vida.
         No dia 29.09.1991, tornou-se Apóstolo na Convenção das Igrejas da Graça, em Miami, Flórida, Estados Unidos. Em 24.10.1996, tornou-se Apóstolo e Profeta na Christian International Network of Churches.
          Em 20.03.2003, foi ordenado, BISPO PRIMAZ, pelo Conselho de Bispos do Brasil e reconhecido pela Ordem de Ministros Evangélicos do Brasil(OMEB). Tradutor e interprete de Francês, Inglês e Espanhol. Comunicador de Rádio e Televisão. Professor de Teologia e de Matemática. Escritor. Conferencista internacional. Assessor do Presidente da Ordem Internacional dos Periodistas. Diretor de Empresa de Transportes. Gerente de Relações Públicas. Vice-Presidente da Academia Evangélica de Letras do Brasil. 
          Membro da Ordem dos Advogados do Brasil, sob o numero 61569. Fundador da Igreja Evangélica Cristo Vive (Missão Apostólica da Graça de Deus). Formou-se em Direito, na Universidade Gama Filho, do Rio de Janeiro, em 1986. Bacharel em Teologia, pelo Seminário Unido, do Rio de Janeiro. Curso de Mestrado em Teologia, pela Faculdade Teológica Peniel Internacional, de Mato Grosso, em 1993. Doutorado em Teologia, pela Faculdade Teológica e Eclesiástica do Paraná, em 1994.

 

2º ocupante

Acad. Roque Monteiro de Andrade

Segundo ocupante desta Cadeira.

 

          ROQUE MONTEIRO DE ANDRADE, natural de Ubaira, Bahia, 16.08.1922, escreveu, entre outros, AGUILHÕES DE DEUS(1964), E O DILÚVIO ACONTECEU(1973), INERRÂNCIA DA BIBLIA(1974), A RAZÃO DA ESPERANÇA(1976), O PÚLPITO À SOMBRA DA CRUZ(1977), CÁTEDRA E PÚLPITO(1979), UM ROMANCE EM CADA CANTO(1972), este, com apresentação do Pr. João Soren.
          Traduziu também FRONTEIRAS NA TEOLOGIA MODERNA, A TEOLOGIA PROTESTANTE AO ALCANCE DE TODOS.

          Em 1949, com 27 anos de idade, foi consagrado ao Ministério Evangélico, tornando-se Pastor Batista. Em 1950, com 28 anos de idade, formou-se Bacharel em Teologia, pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Em 1952, com 30 anos, tornou-se Professor de História do Cristianismo, de Língua Hebraica e de Velho Testamento, no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro.
         Como Ministro Evangélico, foi Pastor Batista de diferentes igrejas no Brasil. Romancista, Ensaísta, Tradutor. Foi Professor de muitas instituições. Foi Pastor da Segunda Igreja Batista de Sorocaba, Estado de São Paulo, em 1954. Também foi Pastor da 1ª Igreja Batista de Mogi das Cruzes, São Paulo. Em 1957, com 35 anos, foi um dos fundadores da Faculdade Teológica Batista de São Paulo. Em 1962, com 40 anos, fez-se sócio da União Brasileira de Escritores. Foi Pastor da Igreja Evangélica Batista no Alto da Mooca, entre 07/07/1956 a 09/05/1965. Em 1978, com 56 anos, foi um dos fundadores da Faculdade Teológica de Campinas, em São Paulo.
           Foi professor do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Sobre ele, seu sobrinho Nilson Cornélio Dorta dos Reis escreveu: “Pastor Roque Monteiro de Andrade, levava tão sério a questão do dízimo, que no seu casamento, ele calculou o valor dos presentes recebidos e sobre esse valor, entregou o dízimo”. Faleceu em 1990, com 68 anos de idade.

Patrono

Acad. José de Souza Marques

Primeiro ocupante desta Cadeira.

 

          JOSÉ DE SOUZA MARQUES, natural do Rio de Janeiro, Capital, 29.03.1894, escreveu, entre outros, ROTEIRO DO DESTINO, OLHANDO PARA JESUS, PENSAMENTOS PARA VOCÊ PENSAR, O DIVORCIO NA BIBLIA E NO DIREITO, DISCURSOS PARLAMENTARES, ANÁLISE SINTÁTICA-ESTUDO PRATICO DE PORTUGUÊS, VERBOS PORTUGUESES-DEFINIÇÕES DE TODOS OS MODOS E TEMPOS SIMPLES E COMPOSTOS, O GOVERNO DEMOCRÁTICO E AS IDEOLOGIAS POLITICAS, ORAÇÕES DE PARANINFO, OS EVANGÉLICOS E A POLITICA.

          Casou-se com Leopoldina Ribeiro de Souza Marques, com quem teve 7 (sete) filhos. Bacharelou-se em Ciências e Letras. Formou-se em Teologia, no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, na turma de 1922, com 28 anos de idade. Foi Pastor no Paraná durante algum tempo. Voltou ao Rio de Janeiro e formou-se em Direito. Foi Secretário do Colégio Batista, na época de Shepard. Por concurso público de provas e títulos, tornou-se professor do antigo Distrito Federal(Rio de Janeiro).
Com o passar do tempo, fundou uma Escola Primária que se transformou no Colégio Souza Marques, posteriormente transformado em Fundação Universitária Souza Marques, na região de Cascadura, no Rio de Janeiro.
          Construiu vários templos batistas, dentre outros, em Realengo, Osvaldo Cruz e Engenho Novo. Em várias ocasiões, foi Presidente da Convenção dos Batistas Cariocas. Fundador do jornal NOVA ERA. Fundador e Presidente do Partido Republicano Democrático. Foi Deputado Constituinte à Primeira Legislatura do antigo Estado da Guanabara. Foi Vereador no Rio de Janeiro. Quando faleceu, era Deputado Estadual. Diretor da Editora Souza Marques. Diretor-Proprietário da Livraria Evangélica Suburbana. Diretor-Proprietário da Revista Seleções Brasileiras.
         Formado em Teologia, foi consagrado Ministro Evangélico, tornando-se Pastor Batista, vinculado à Convenção Batista Brasileira, tendo sido Pastor da Igreja Batista do Engenho Novo, no Rio de Janeiro. Redator do jornal O BATISTA FEDERAL.
          Presidente da Ordem dos Ministros Batistas do Brasil, em 1958, com 64 anos de idade, quando se deu o Primeiro Congresso de Pastores Batistas do Brasil. Foi Presidente da Convenção Batista Brasileira, em 1935, com 41 anos de idade, na Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro. Foi Vice-Diretor do Colégio Batista do Rio de Janeiro.