• instagram-logo
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon
  • Convocação AELB

© 2019 por Wittenberg

AELB

Academia Evangélica de

Letras do Brasil

Cadeira 24

Titular

Acad. Josué Ebenézer Souza Soares

Quatro ocupante desta cadeira.

 

JOSUÉ EBENEZER SOUZA SOARES, natural de Miracema, Estado do Rio, 07.03.1963, escreveu, entre outros, VIDA CRISTÃ FRUTÍFERA(REVISTA), A FAMÍLIA E OS DESAFIOS DOS NOVOS TEMPOS(REVISTA), VALE DE SOMBRAS(Poesias).
Filho do Pastor João José Soares Filho, falecido em dezembro de 2004 e Judith Souza Soares. 
Mudou-se para Nova Friburgo em 1964, quando seu pai assumiu o pastorado da Segunda Igreja Batista até novembro de 2004, quando faleceu. Em 1981, com 18 anos de idade, matriculou-se no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, formando-se Bacharel em Teologia em 1984, com 21 anos.
Jornalista, Bacharel em Comunicação Social-1993 (Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro) e Teologia-1984 (Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, Rio de Janeiro). Escritor, poeta, ensaista e pastor.
Casou-se com Katia Cardoso Soares, com quem tem Lucas (1992), Murilo (1996) e Noemi (2000).
Foi Redator do JORNAL JOVEM, atual JORNAL DA JUBERJ. Foi Secretário-Executivo da JUBERJ(Juventude Batista do Estado do Rio de Janeiro), substituindo o Pastor Gilson Bifano. Membro da Diretoria da Convenção Batista Fluminense.
Tornou-se Pastor da Igreja Batista do Prado, em Nova Friburgo,Estado do Rio,em 02.09.1995
.

3º ocupante

Acad. Jerônimo Onofre da Silveira

Terceiro ocupante desta Cadeira.

 

        JERONIMO ONOFRE DA SILVEIRA, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, 03.11.1953, escreveu, entre outros, CASAMENTO-GRANDE É ESTE MISTÉRIO, PROVISÕES E RIQUEZAS, PRODUZINDO POR MIL HOMENS, EXTERMINADORES DE RIQUEZAS, OS GAFANHOTOS DO INFERNO, O DOM DE ADQUIRIR RIQUEZAS.
Pastor titular da Igreja do Evangelho Quadrangular, em Belo Horizonte. Presidente da ONG ESCOLA DO MINISTÉRIO DE JEOVÁ JIRÉ. Ex-secretário municipal de Defesa Social do município, presidente da Rádio Educativa. Presidente do Centro de Convenções Jeová-Jirê, conferencista internacional.

2º ocupante

Acad. zacarias Campelo

Segundo ocupante desta Cadeira.

 

          ZACARIAS CAMPELO, natural de Barra do Corda, Maranhão, julho de l900, escreveu, entre outros, "AMOR E TRAGÉDIA NA TABA DOS KRAÓS", "O ÍNDIO É ASSIM", “ESSE HOMEM FILHO DE DEUS”.
Estudou no Colégio Americano Batista Gilreath do Recife, em Pernambuco. Bacharelou-se em Teologia, pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, no Recife, em 1925.
Casou-se na Veneza Brasileira(Recife), no dia 08.05.1926, com Noeme Stella Falcão Campelo, nascida em 1906 e falecida em 1928, com quem teve os filhos Saulo Falcão Campelo(1927) e Esmeralda Campelo (1928).
Casou-se, pela segunda vez, com Orphisa Campelo, em 1929, na cidade de Carolina, no Maranhão, com quem teve cinco filhos(Elizafan faleceu em São Paulo, como Advogado. Elijá é comerciante. Ana Campelo foi professora do Conservatório Nacional de São Paulo. Miriam é advogada e Panuã é casada com um economista).
Missionário da Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira, no interior do Maranhão e de Goiás, entre os índios, especialmente em Tocantinópolis e Itacajá, no antigo Goiás, hoje Estado do Tocantins. De 1926 a 1937, evangelizou diversas tribos indígenas, dentre outras, os indios KRAÓS. Trabalhou com os indios XERENTES em 1938.
Dirigiu o Ginásio Batista de Tocantínia(Piabanha), cidade em que residiu por muitos anos, até afastar da Junta de Missões no inicio de 1944.
Viveu na cidade de ASPIRIM(1944) e deu-lhe o nome de CRISTALÂNDIA, no Estado de Goiás, hoje Tocantins, conforme entrevista concedida à revista A PÁTRIA PARA CRISTO, Rio de Janeiro, Ano XLI, 01, 1986: “Fui pregar o Evangelho no garimpo. O lugar se chamava ASPIRIM. Quando resolvi sair de lá, já estava com 10 mil habitantes e sugeri a criação do município e coloquei o nome de Cristalândia, por ser a terra do cristal”.
Em 1944, com 44 anos de idade, desligou-se da Junta de Missões Nacionais, com a qual estava trabalhando desde 1926. Mudou-se para a cidade de Anápolis, interior goiano, em 1945, onde exerceu o pastorado na Igreja Batista e foi construtor de casas.
Em 1946, deslocou-se para Caruaru e Triunfo, em Pernambuco, como Evangelista da Junta de Richmond, dos Estados Unidos. Um dos fundadores do Colégio Sete de Setembro de Caruaru.
Escritor, Ensaísta, Pesquisador. Indigenista, Memorialista, Doutrinador. Conferencista, Orador, Intelectual. Pensador, Ativista, Produtor Cultural. Literato, Cronista, Contista. Administrador, Educador, Ficcionista.
Abonado nos livros ESTUDOS LITERÁRIOS DE AUTORES GOIANOS e ESCRITORES DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins. Foi membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, no Rio de Janeiro, além de outras instituições sociais, culturais e de classe.
Presente na ESTANTE DO ESCRITOR GOIANO, do Serviço Social do Comércio e em diferentes livros que tratam da antropologia indígena Goiana. Sua segunda esposa Orphisa faleceu em 1974 e no ano seguinte(1975, com 75 anos de idade) casou-se com Júlia Moraes Campelo.
Passou a residir em diferentes cidades brasileiras, entre as quais, Niterói, Estado do Rio de Janeiro, onde se tornou auxiliar do Pastor Nilson Fanini, por volta de 1979.
Faleceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, no ano de 1993, com 93 anos de idade, na casa de sua filha, a Pastora Esmeralda Campelo.

Patrono

Acad. César Darcoso Filho

Primeiro ocupante desta Cadeira.

 

          CÉSAR DACORSO FILHO, natural de Santa Maria, Rio Grande do Sul, 10.11.1891, escreveu, entre outros, FORUM SACRAMENTAL DO BATISTMO, CRISTIANISMO POSITIVO, JORNALISMO. Filho de César Dacorso e Constantina Dacorso.
Ainda muito jovem, foi para Juiz de Fora, Minas Gerais, onde fez o secundário e terminou os Estudos Teológicos, em 1915, com 24 anos de idade. Casou-se com Maria José Guimarães Dacorso, com quem teve 8(oito) filhos, Tertulo Márcio, Ítalo Porcio, Giscalo Floro, Clélia Tulia, Proculo Galba, Sulla Brila, Vera Lívia e Ceres Ophelia.
Entre 1920 e 1924, foi Secretario e Redator do ANUARIO DA CONFERENCIA ANUAL da Igreja Metodista no Brasil. Nos anos seguintes, foi para Belo Horizonte, como Pastor da Igreja Metodista Central. Depois de 1932, já com 41 anos de idade, foi para as Igrejas Metodistas de Carangola, Faria Lemos e São João do Rio Preto.
No dia 15.01.1934, com 43 anos, no templo da Igreja Metodista Central de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, foi consagrado BISPO DA IGREJA METODISTA DO BRASIL. Depois de aposentado, foi trabalhar na Sociedade Bíblica do Brasil, no Rio de Janeiro e como Pastor de uma das Igrejas Metodistas.
Faleceu no dia 15.02.1966, no Rio de Janeiro, com 75 anos de idade. Em fevereiro de 1967, Nelson de Godoy Costa publicou a sua biografia com o titulo: CÉSAR DACORSO FILHO, PRINCIPE DA IGREJA METODISTA DO BRASIL.
Muito bem estudado no livro PIONEIROS E BANDEIRANTES DO METODISMO NO BRASIL (Imprensa Metodista, 1967), de Isnard Rocha.